29 julho 2014

Resenha - Quando tudo volta

Uma morte por overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa? Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é o seu maior admirador. O desaparecimento (ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas. Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.




Título - Quando tudo volta 
Autor = John Corey Whaley
Ano - 2014
Páginas - 224
Editora - Novo Conceito 


Fechei o diário, apaguei o abajur e olhei para o meu irmão para ter certeza de que não o havia acordado. Ele ainda dormia, com um sorriso incrivelmente sincero no rosto. Gabriel costumava se desligar do mundo. Com hábitos assim, ele não olhava para frente ao atravessar o corredor da escola. Quando se olha para frente, é possível evitar um empurrão, uma trombada ou o ataque inconveniente de algum idiota que esteja ao lado do bebedouro esperando por alunos mais novos e com cara de inocente que estejam andando olhando para o chão. Meu problema era que eu não era grande nem valente o suficiente para proteger ou defender meu irmão mais novo de nenhuma maneira, exceto pelo uso inteligente que as vezes eu fazia do sarcasmo como distração. Lucas Cader, no entanto, conseguia afastar os babacas de sempre que gostavam de perturbar Gabriel e seus amigos. Acho que, de certo modo, Lucas acreditava ser parte de sua missão no mundo proteger aqueles meninos.  

Quando tudo volta é o tipo de livro que quando terminei de ler, simplesmente não fazia ideia de como fazer uma resenha, pelo simples fato de não ter absolutamente nada para falar dele. Talvez a melhor maneira de descrevê-lo é como sendo o livro dos quase, já que o autor nos trás uma "quase" história interessante, com um "quase" final feliz, o que tornou Quando tudo volta um livro não só superficial, mas também frustrante.

A história fala sobre Cullen Witter um garoto normal morando em uma cidade pequena, que trabalha na lanchonete local, e que tem poucos amigos. E quando seu irmão mais novo desaparece, ele precisa lidar com a crise familiar, e seus sentimos pelo irmão. Mas quando os moradores da cidade passam a dar mais atenção para a notícia do possível reaparecimento de um pica pau que deveria estar extinto, e tratam o sumiço de Gabriel como uma simples fuga, Cullen começa a reavaliar sua vida e suas crenças.

Tudo isso daria uma boa história, e até funcionou durante algumas páginas, mas a falta de consistência, e os capítulos intercalados que deveriam ser a solução para o mistério, mas que somente ajudam a confundir ainda mais o leitor, deixou o enredo fraco e insosso.

A história começa bem, e durante alguns capítulos achei que Quando tudo volta poderia realmente ser um daqueles livros que surpreendem, com uma história melancólica, mas cheia de qualidades, que de certa forma usa a teoria do caos para narrar os acontecimentos na vida de Cullen e Gabriel, mas logo pude sentir que infelizmente esse não seria o caso.

O grande problema do livro é a falta de um bom final. E não estou falando de um final agradável e feliz, isso nem todas as histórias podem nos garantir, e tornaria a leitura algo muito chato, mas Quando tudo volta sofre com a falta de um encerramento para a história, que termina de uma maneira tão abrupta que me deixou pensando se havia perdido meu tempo lendo aquela história.

O melhor personagem do livro é de longe o melhor amigo de Cullen, Lucas. Ele e a namorada Mena são os responsáveis por cuidar de Cullen durante o desaparecimento do irmão. Os dois formam uma especie de rede protetora ao redor de Cullen, não deixando o garoto muito tempo sozinho, Lucas na verdade passava todas as noites dormindo no chão do quarto do amigo, e tentando ajudar da melhor forma possível. Por algum motivo, esses dois personagens secundários e sem muita importância, se mostraram mais densos e agradáveis do que Cullen e seu drama. 

A parte boa foi o autor ter usado a ideia da teoria do caos para criar a base de sua história. Já que nos primeiro capítulos vamos entendendo que as decisões de uma pessoa completamente desconhecida da família de Cullen e distante deles em muitos quilômetros, vai colocar em movimento o destino dele e toda sua família.

Quando tudo volta é um livro que como tantos outros possui bons e maus momentos, o autor acertou na hora de 'amarrar' toda sua história, mas falhou quando precisou nos mostrar mais profundidade tantos nos personagens como no enredo. Mesmo assim ainda poderá agradar alguns leitores que preferem livros curtos e com histórias rápidas e dramáticas.


Boa leitura.

 O Dr.Webb diz que perder um irmão, às vezes, é muito mais difícil para uma pessoa que perder qualquer outro membro da família. “um irmão representa o passado, o presente e o futuro de uma pessoa”, diz ele. “os cônjuges têm um ao outro, e, mesmo quando um morre, eles têm lembranças de um tempo em que existiam antes de a pessoa chegar e conseguem imaginar a vida sem ela com mais facilidade. Da mesma forma, os pais podem ter outros filhos com quem se preocupar – um futuro a zelar por eles. Perder um irmão é perder a única pessoa com quem se dividia um elo de vida que deve continuar pelo futuro”. 

22 julho 2014

Por onde andei lendo...

Olá bookaholics, a renovação do blog está levando mais tempo do que o esperado, (o html me enlouquecendo como sempre)então decidi continuar com nossas postagens enquanto o novo banner e template não ficam prontos.

 E nessa semana temos a volta do "Por onde andei lendo..." dessa vez foi bem pertinho de casa, em Porto Alegre. Mas aproveitei a vista do Guaíba e a tarde com os amigos, em um dos poucos finais de semanas com sol nos últimos meses aqui no estado, para tirar algumas fotos e ler. Não tirei foto do livro que levei comigo (esqueci completamente), mas a aproveitei para começar a ler o esperado Mr.Mercedes do escritor Stephen King.


As fotos são da orla do Guaíba junto a Usina do Gasômetro. O local é lindo, e é conhecido por ter um por do sol maravilhoso. Infelizmente não pude ficar até mais tarde e tirar fotos do entardecer, mas fica o registro da nossa linda Porto Alegre.  







17 julho 2014

Novidades sobre livros - Atoning - Kelley Armstrong

Para os fãs da série Darkest Powers da autora Kelley Armstrong os últimos meses tem sido de muita expectativa, já que a autora finalmente decidiu nos mostrar um pouco mais sobre seus personagens, com uma história online gratuita que vem postando em seu site.



No momento a história já conta com seis capítulos, e fala sobre o que aconteceu um ano depois do final da terrível trilogia The Rising, e dezoito meses depois do último livro da série Darkest Powers, mostrando uma nova realidade na vida de Chloe, Derek e o restante do grupo. 




Para aqueles surpresos com a diferença tão grande de tempo, vale lembrar que o primeiro livro da série DP - The Summoning (A invocação aqui no Brasil) foi lançando nos Estados Unidos no ano de 2008, e a história se desenrola em apenas algumas semanas. Por esse motivo, em diversas entrevistas a autora já alegou ser impossível fazer uma continuação da série, já que uma história agora, apresentaria um pulo de tempo muito grande, mostrando Chloe e Derek com 21 e 22 anos, o que poderia confundir os leitores. 

Mas apesar das alegações da autora e de sua aversão - sim a autora possui uma estranha relação com a série, e já demonstrou isso várias vezes, até mesmo com a expulsão de fãs da série de suas redes sociais - essa historinha online volta a dar uma esperança paras os leitores, já que coloca Chloe e Derek mais próximos aos dias atuais e talvez, uma nova série com os dois.

A notícia só não é melhor, porque a história segue os acontecimentos no final da série The Rising ainda não lançada aqui no Brasil, e o e-book online esta disponível apenas em Inglês. 

Não posso falar mais nada sobre a história aqui, já que implicaria em largar spoilers gigantescos sobre os finais das duas séries, mas para os fãs da série que já conhecem toda a história e se arriscam uma leitura em Inglês, segue o link da página oficial da autora.
http://www.kelleyarmstrong.com/PDFs/Atoning.pdf

Boa leitura.


16 julho 2014

Novidades e reformulação do blog

Olá bookaholics o blog está um pouco parado, mas dessa vez é por um bom motivo. Ele está passando por uma reformulação, logo terá novas postagens, um espaço para os autores parceiros, e também um layout completamente diferente. 


Por enquanto vamos seguir sem novas resenhas, mas elas voltam ao normal a partir da próxima semana. Assim como a atualização da nossa participação da maratona literária, o Cover of the week e o Mais um blog sobre séries e Filmes, com mais novidades sobre séries e filmes pra vocês. 


05 julho 2014

Maratona Literária - The 100 - Os escolhidos



Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. Cem delinquentes juvenis — considerados gastos inúteis para a sociedade restrita — serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles... ou uma missão suicida.








Título - The 100 - Os escolhidos
Autor - Kass Morgan
Ano - 2013
Páginas - 288
Editora - Galera Record

Clarke saiu da barraca da enfermaria em direção à clareira. Mesmo sem o luxo de janelas, ela sentiu que a alvorada tinha chegado. O céu explodia em cores e o ar pungente estimulava sensores em seu cérebro que Clarke nunca soube que existiam. Ela desejou poder compartilhar a experiência com as duas pessoas que a tinham feito ansiar ver a Terra em primeiro lugar. Mas Clarke nunca teria essa oportunidade.
Seu pais estavam mortos.

O motivo por ter escolhido o livro The 100 para fazer parte da Maratona Literária eusoudoideira 2, é por que a série inspirada nessa história (e só levemente inspirada mesmo) ter sido uma das poucas que me agradou nesse ano, e que assisti até o final. Então decidi, mesmo com tantas resenhas negativas sobre ele no Goodreads, dar uma chance para o livro, que apesar de não ser ruim, peca pela superficialidade de sua narrativa.

Como faz parte da maratona cada livro deve ganhar uma trilha sonora, e é claro que para The 100 não resisti em relembrar o melhor momento de toda a série, com a música Radioactive - Imagine Dragons. 


The 100 é mais um daqueles livros que sofrem com a descrição: tinha tudo para ser incrível, mas falhou miseravelmente. Contando a história de um grupo de sobreviventes que conseguem escapar de um desastre da terra, vivendo em uma espécie de estação espacial (aqui não temos descrição do que realmente aconteceu 300 anos antes da histórica começar). O problema é que a estação não foi projetada para durar tanto tempo, e devido á problemas - sem mais detalhes sobre isso também - eles são obrigados á enviar 100 jovens, todos eles considerados criminosos e esperando a execução ao completarem dezoito anos, de volta para a terra e usa-los como ratos de laboratório para saber se é realmente seguro retornar.

Com apenas 288 páginas, o livro conta com pouco espaço para descrever o universo extremamente complexo que a autora Kass Morgan tentou criar em The 100. Tudo, desde a vida na estação espacial, até a sobrevivência dos jovens que retornam a terra, é descrito sem muito entusiasmo ou detalhes. A autora falha ao tentar nos passar qualquer tipo de sentimento, mesmo em momentos extremos, como quando os jovens pisam em terra firme pela primeira vez. Nesses momentos é simples entender as grandes mudanças realizadas no enredo da série, que apesar de ter algumas semelhanças com o livro, passa longe da história original.

Falar sobre os personagens é difícil, se não impossível, já que as poucas páginas da história são divididas em diferentes pontos de vista, e são tão breves que simplesmente não consegui definir o caráter de cada um deles. Sabemos pouca coisa sobre Glass, Wells, Clarke e Bellamy, e o passados deles é contato através de breves flashbacks que mais confundem do que esclarecem o leitor. A autora deixa claro que toda sua história serve somente como pano de fundo para o romance de Wells e Clarke. O grande problema é que o relacionamento deles beira algo doentio, com Wells sendo capaz de tudo para seguir com Clarke para a terra, até mesmo colocar a vida de todos dentro da estação espacial em risco. 

Se você, assim como eu assistiu primeiro a série para depois ler o livro, vai conseguir entender um pouco melhor o que se passa no mundo criado pela autora, mas se ainda não assistiu The 100 - A série, aconselho a passar longe do livro, já que com toda a certeza vai terminar sua leitura sem entender absolutamente nada dessa história.

Uma coisa que realmente me incomoda, é a grande quantidade de elogios encontrados nas resenhas brasileiras do Skoob (logo teremos uma postagem sobre isso aqui no blog), em que leitores - a grande maioria blogueiros - dizem que simplesmente amaram a história. Honestamente, respeito a opinião deles, mas fico com o pé atrás quanto a tanto amor por um livro tão pobre em conteúdo.

Mas enfim, The 100 é uma história que poderia estar entre os grandes livros YA pós apocalíticos já lançados, mas morre na praia, sem uma história consistente, com personagens fracos, e um final que da a impressão que a autora simplesmente desistiu de continuar escrevendo. E que leva a descrição 'superficial' ao extremo.

Uma história boa como série, mas que da sono como livro.

 E para finalizar um vídeo com um dos melhores momentos da série, e que em poucos minutos descreve absolutamente tudo o que falta no livro: emoção. 


 Naquela manhã ele tinha descoberto pegadas de animais – marcas totalmente reais que levavam para dentro da floresta. Sua descoberta tinha causado uma enorme comoção. A certa altura, havia pelo menos três dúzias de pessoas reunidas, todas fazendo observações inteligentes e úteis como provavelmente não é um passador e parece ter quatro patas. Finalmente, Bellamy foi a pessoa a assimilar que aqueles eram cascos, não patas, o que significava que era provavelmente um herbívoro e, dessa forma, algo que eles poderiam teoricamente caçar e comer.



A plataforma de observação estava completamente vazia. Olhando para o mar de estrelas imensuravelmente vasto, Wells podia facilmente imaginar que os dois eram as duas únicas criaturas vivas em todo o universo. Ele apertou o braço em volta de Clarke, que pressionou sua cabeça contra seu peito e soltou o ar, se aproximando dele enquanto o ar deixava seu corpo. Como se estivesse feliz em deixar que ele respirasse pelos dois. 




02 julho 2014

Cover of the Week - Aristóteles e Dante Descobrem os segredos do Universo

A capa em destaque da semana é do livro  Aristóteles e Dante Descobrem os segredos do Universo, essa é uma das minhas capas preferidas até agora, e é difícil resistir aquela caminhonete vermelha kkkk. 

Mesmo sabendo que não se pode escolher um livro pela capa, esse já está na minha lista de futuras leituras. 




Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. 

Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.